Transtorno da Personalidade Borderline

Atualizado: 23 de jul. de 2021



O que é personalidade?

A personalidade é composta pela junção de temperamento e caráter. O temperamento é a parte mais estável da personalidade, muito influenciado pela genética recebida dos familiares. O caráter, por sua vez, é moldado ao longo do tempo, através das experiências de vida, e é mais dinâmico e dependente do ambiente em que se está inserido.

É a soma dos traços e características psicológicas individuais que determina as formas de pensar, sentir e agir – ou seja, a individualidade pessoal e social de alguém, o que o caracteriza e o difere dos outros.

A formação da personalidade é um processo gradual, complexo e único a cada ser humano, ocorrendo ao longo do desenvolvimento mental e físico do indivíduo.


O que é Transtorno da Personalidade? (TP)

É um padrão persistente, inflexível e mal adaptativo de comportamento, que se desvia acentuadamente do esperado pela sociedade.


Os TPs são definidos pelas seguintes características:

  • Surgem no final da adolescência.

  • No início da idade adulta, já estão claramente configurados.

  • Sua tendência é durar e permanecer ao longo da vida.

  • Reações claramente desarmônicas, que envolvem vários aspectos da vida (afetividade, expressão emocional, comportamento, controle de impulsos, modo e estilo de relacionamento interpessoal).

  • Não se limitam a uma relação pessoal ou a uma situação específica e única.

  • Possuem longa duração e não são limitados ao episódio de doença mental (ex.: fase depressiva, fase maníaca ou surto psicótico).

  • Levam a diferentes graus de sofrimento (solidão; sensação de fracasso pessoal; dificuldade nos relacionamentos, os quais são vividos com amargura).

  • Contribuem para pior desempenho ocupacional e social.


O que é Transtorno da Personalidade Borderline? (TPB)

Caracteriza-se por uma importante instabilidade nas relações pessoais, na autoimagem, na vida afetiva, emocional e na identidade pessoal e social, assim como, por um padrão de impulsividade em diferentes contextos da vida, geralmente com consequências significativas.

É um dos TP mais frequentes na população em geral e acomete mais mulheres do que homens. A grande maioria desses pacientes irá apresentar outro transtorno mental ao longo da vida (transtorno do humor e/ou transtorno por uso de álcool ou drogas).

O TPB provoca marcante impacto sobre a vida pessoal e social tanto dos indivíduos acometidos quanto de seus familiares e pessoas próximas.

Além disso, apresenta uma alta taxa de mortalidade por suicídio.


Quais os sintomas do TPB?

São necessárias pelo menos cinco das seguintes características para o diagnóstico de TPB:

  • Esforços excessivos e desesperados para evitar abandono real ou imaginário.

  • Relacionamentos pessoais intensos, mas muito instáveis, oscilando entre períodos de “amor”, “paixão” ou “adoração” e outros de “ódio” e “rancor”.

  • Perturbações da identidade: dificuldades graves e instabilidade com relação à autoimagem, objetivos e preferências.

  • Impulsividade em pelo menos, duas áreas autodestrutivas (ex.: gastos exagerados, sexo com desconhecidos, uso de substâncias, compulsão alimentar, direção perigosa/irresponsável de automóveis).

  • Comportamentos, gestos e atos suicidas repetitivos ou comportamento de automutilação.

  • Instabilidade emocional intensa, decorrente de acentuada reatividade do humor (irritabilidade ou ansiedade intensas, de poucas horas, raramente de dias).

  • Sentimentos crônicos de vazio.

  • Raiva intensa e inapropriada e/ou muita dificuldade em controlá-la (brigas físicas, explosões comportamentais).

  • De forma transitória, podem ocorrer ideias paranoides (traição, ameaça, perseguição) e/ou sintomas ou episódios dissociativos intensos (estresses pessoais difíceis).


O que causa o TPB?

O Transtorno da Personalidade Borderline resulta de uma combinação complexa de fatores ambientais, genéticos e bioquímicos.


Fatores ambientais: traumas na infância, negligência, abuso físico e/ou sexual, má ou ausência da responsividade emocional de figuras adultas de ligação.

Fatores genéticos: considerado um dos TP de maior hereditariedade.

Fatores bioquímicos: anormalidades no sistema de serotonina e disfunção do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, com aumento do cortisol, sendo associadas à agressividade impulsiva e hiper-reatividade às emoções.


É necessário tratar o TPB?

Os TPs produzem consequências muito penosas para o indivíduo, seus familiares e pessoas próximas. Embora, muitas vezes, o indivíduo com TP não reconheça suas dificuldades e problemas comportamentais e emocionais, ele enfrenta limitações em sua vida acadêmica, profissional, social e pessoal.

De modo geral, esse padrão de personalidade está em desacordo com a expectativa da cultura na qual o paciente cresceu e/ou se situa.


Os objetivos do tratamento dos Transtornos de Personalidade são:

  • Reduzir o sofrimento subjetivo.

  • Permitir que os pacientes entendam que seus problemas têm origem interna.

  • Diminuir comportamentos significativamente mal adaptativos e socialmente indesejáveis.

  • Modificar traços de personalidade problemáticos.


Como é o tratamento do TPB?

O principal tratamento para o Transtorno de Personalidade Borderline é a psicoterapia. Várias abordagens psicoterápicas têm sido utilizadas:

  • Terapia cognitivo-comportamental

  • Terapia psicodinâmica

  • Terapia focada na transferência

  • Terapia baseada em mentalização


O tratamento farmacológico do TPB é complexo, e será direcionado para sanar os sintomas predominantes específicos. A escolha do medicamento depende da gravidade e do tipo de sintomas apresentados: ansiedade, angústia, depressão, instabilidade afetiva, impulsividade, raiva e/ou agressividade.



#personalidadeborderline #borderline


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo